2ª Via de boleto (16) 3761-8600

A importância de achatar a curva epidemiológica e permanecer em quarentena.


A importância de achatar a curva epidemiológica e permanecer em quarentena.

O novo coronavírus (covid-19) causou a pandemia que estamos enfrentando agora em nosso país. Desde quando surgiu o primeiro caso, em dezembro de 2019, em Wuhan, na China, o vírusinfectou 951.901 mil pessoas, matou 47.522 mil e 195.929 mil já estão curados.

Só no Brasil, já foram registrados 6.836 casos e 240 mortes, segundo dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), até o início deste mês de abril. A nova doença, desconhecida até o ano passado, ainda está sendo pesquisada por vários países no mundo e, apesar de ter sintomas comuns de uma gripe, é mais grave e letal.

Estudos divulgados pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), Universidade de São Paulo (USP) e pela Universidade Federal do ABC (UFABC), indicam que o número de casos no Brasil até o início deste mês de abril, dobra a cada 2,5 dias.

A doença que se alastra pelo mundo, se tornou o assunto mais comentado e impactou governos e instituições públicas e privadas, para que tomassem as medidas cabíveis e evitassem um colapso na saúde.

Achatar a curva da epidemiologia é a solução. Você sabe realmente o que isso significa e a importância de se permanecer em quarentena?

Curva epidemiológica:

A curva é representada por meio de um gráfico simples, porém extremamente útil. Os pesquisadores investigam como a doença atinge a população, mostrando o número de casos pelo tempo (mês), conhecendo assim, a evolução dela. Graças a esta avaliação, os sistemas de saúde conseguem planejar ações para que não ocorra uma crise.

De uma maneira simples, ficar em casa significa diminuir o contágio. 86% dos casos de coronavírus são assintomáticos, ou seja, podemos adquirir o vírus e não saber. Caso você adquira e não apresente sintomas, pode disseminar e contaminar pessoas que são pertencentes ao grupo de risco, as quais possivelmente apresentarão complicações graves da doença, como falta de ar, por exemplo.

A patologia ainda não possui vacina ou cura comprovada. Se toda a população obedecer às regras do Ministério da Saúde, permanecendo em quarentena, o nível de disseminação diminuirá e passaremos por essa pandemia sem grandes agravos no sistema público de saúde. Portanto, para o bem-estar de todos, fique em casa. A Unimed apoia esta iniciativa. 




Home
Notícias